Notícia

Sociedade

Professora realiza sonho e grava música autoral

Postada 12/01/2021



Eva Nadir da Silva Lubenow é professora há 25 anos e atualmente dá aula aos Anos Iniciais e de Português na Escola Municipal Pejuçara e na Escola Estadual Angelo Furian, também em Pejuçara. Ela acaba de lançar uma música, chamada No fundo do peito, feita em parceria com o professor Rodrigo Martins que cantou e produziu a letra composta por ela, também com a participação do acordeonista Everton Paixão.
A música estava sendo produzida desde 2018 e foi lançada em 2020. Agora, ela está preparando um álbum com mais ou menos 12 músicas inéditas que será lançado no decorrer deste ano. “Eu sempre gostei de escrever poemas, desde o tempo de escola, mas não mostrava para ninguém. Na fase adulta eu escrevia poemas, mas mostrava para poucas pessoas e eu sempre gostei de cantar”, conta Eva que cantou em um festival da escola quando tinha 16 anos e fazia pequenas participações em show de talentos que tinha na escola quando era professora. “Na verdade, eu sempre tive uma ligação muito forte com a música”.
Eva participa de um coral em Pejuçara e fazia curso de violão com o professor Rodrigo Martins. “Certo dia em uma aula de violão ele me pediu qual música eu gostaria de aprender no violão, então eu disse que gostaria de cantar e tocar as músicas que eu escrevia, então ele pediu para ver as minhas músicas e gostou muito”.
Rodrigo mostrou as letras para alguns amigos dele que também eram músicos e disse que iria gravar essa música que agora está sendo muito tocada nas rádios. Ele convidou alguns amigos para participar da música, inclusive o acordeonista Everton Paixão que dá aulas de gaita em Pejuçara e gravou nos estúdios dos amigos dele em Cruz Alta. “Então formamos uma parceria em que eu escrevi e ele produziu e cantou essa música, chamada No fundo do peito”.
Eva tem cinco irmãos, é filha de Edelmira da Costa e Silva, já falecida e de José Batista da Silva que tem 108 anos. Todos residem em Pejuçara e são uma família de descendência africana. Ela diz que para escrever as músicas se inspira no amor duas pessoas, na natureza em algum passeio que tenha feito, na felicidade que está sentindo. “Eu acho que é o dom de escrever que Deus me deu. Vale lembrar que eu me inspirei ainda mais depois que eu fiz uma viagem ao santuário de Nossa Senhora Aparecida, em São Paulo, da qual sou muito devota”.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por