Notícia

Educação

Sistema híbrido aponta desigualdades no ensino

Postada 05/01/2021



O ano de 2020 foi diferente para o mundo todo devido à pandemia de covid-19, e uma das principais áreas afetadas foi a Educação. Mas também deixa um legado no processo educacional das instituições de ensino, em todos os níveis.
Para a presidente do Conselho Estadual de Educação, Marcia Adriana de Carvalho, essas mudanças serão sentidas especialmente no Rio Grande do Sul, dentro da perspectiva da busca de respostas para questões nunca pensadas anteriormente.
"Foi um exercício de empatia, de se colocar no lugar do outro, e de buscar alternativas para o período atípico uma vez que o processo educacional, previsto na legislação e na prática, em todas as instituições era presencial, e a pandemia fez com que nos reinventássemos, buscando soluções para sua continuidade, sem a presença física de estudantes e profissionais. Isso foi talvez o maior desafio, mapear as realidades distintas, tanto na rede pública quanto privada, e buscar as melhores alternativas para a manutenção do vínculo pedagógico com crianças, estudantes, acadêmicos", pontua.
A necessidade de investimentos em conectividade e equipamentos que complementam o processo educacional, estão entre os caminhos apontados pela pandemia. "O uso da tecnologia na Educação Básica, além do compromisso das famílias", acrescenta.
O Sistema Híbrido de Ensino também surge como alternativa ao processo educacional, principalmente para este ano, uma vez que, conforme Adriana, ainda não há previsão para acesso universal à vacina contra a covid-19. "Tem um escalonamento, fases para o processo de vacinação, então, o indicativo é de que sim, a mediação das tecnologias digitais de comunicação e educação será algo que veio para ficar. Mas, na Educação Básica a legislação prevê que seja algo complementar, não exclusivo", frisa, acrescentando que, neste momento atípico afetado pela pandemia de coronavírus, em meio a uma situação de calamidade pública na saúde e de restrições presenciais, o Sistema Híbrido é um dos mecanismos de ensino. "Embora a gente saiba que ainda não há universalização, nem da conectividade, nem dos equipamentos. Então, grandes desafios ainda se apresentam, mesmo com essa alternativa que vem para ficar. São necessários investimentos em conectividade, equipamentos e formação continuada permanente", aponta.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por