Notícia

Saúde

Pacientes crônicos devem buscar unidades

Postada 22/12/2020



Exames de preventivos, grupos de gestantes e hipertensos, estão entre os serviços que seguem suspensos, desde o início da pandemia, por orientação do Ministério da Saúde, para evitar aglomerações e a propagação da covid-19.
Os demais serviços, como odontologia, seguem sendo realizados, alguns com restrições, conforme a coordenadora municipal de Atenção Básica, Salester Ruver. "Uma nota técnica orienta os dentistas atenderem somente urgência e emergência, mas já realizamos uma reunião com a equipe de odontólogos do município so,licitando que retornem gradativamente", comenta.
Todas as unidades básicas seguem abertas com atendimento normal. Entretanto, foi realizada uma readequação nos postos, com o direcionamento de profissionais para classificar as demandas, em especial pacientes com sintomas suspeitos de síndrome gripal, para encaminhamento especial, e evitar o contato com os demais. "Não tendo suspeitas, é atendido na própria unidade."
Salester orienta que ao chegar nos postos é para buscar atendimento pela equipe de enfermagem, que é um profissional preparado para fazer uma avaliação mais criteriosa e encaminhamento aos serviços necessários.
Outra alteração importante é relativa às receitas, que tiveram seu prazo de validade ampliado, conforme lei federal, para medicamentos controlados, de seis meses, e antibióticos, de 10 dias.
Os médicos da família têm realizado 500 consultas em média/mês no município. "Significa que o trabalho continua acontecendo. Em nenhum momento, pacientes crônicos deixaram de ser atendidos, e, por isso, reforço a importância de se organizar e agendar suas consultas, para não ficar sem o acompanhamento, porque daqui a pouco resolveremos a pandemia e teremos outras situações de risco, que são os diabéticos, hipertensos, cardíacos, descompensados", reforça Salester, acentuando que o tratamento de problemas que podem refletir nas doenças crônicas não pode ser deixado para depois.
Estudo coordenado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) aponta que pessoas que realizam mais exercícios físicos intensos têm uma diminuição no risco de mortalidade por doenças crônicas.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por