Notícia

Comunidade

Ijuí está entre as cidades gaúchas com maior índice de violência

Postada 03/12/2020



Mulheres que sofrem violência doméstica ou mesmo quem deseja se inteirar mais do assunto teve na tarde de ontem,  a oportunidade de comparecer ao Ônibus Lilás, iniciativa do governo gaúcho - Departamento de Políticas Públicas para as Mulheres, e consiste em mais um instrumento de denúncia e acolhimento. A ação integra a programação dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher em Ijuí, que encerra-se em 10 de dezembro - Dia Internacional dos Direitos Humanos.
"Selecionamos os 16 municípios com maior índice de violência doméstica do programa estadual RS Seguro, e Ijuí está entre eles. O Ônibus Lilás é projetado para realizar atendimento a mulheres vítimas de agressão, mas, devido à pandemia realizamos uma ação de orientação da comunidade, na Praça [da República]. É uma mobilização da Rede de Proteção, chamando atenção da sociedade para mostrar que as mulheres não estão sozinhas", acentuou a diretora estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, Bianca Feijó, em entrevista ao Grupo JM, acrescentando que Ijuí é o oitavo município a receber a visita.
Para levar informações ao maior número de pessoas, integrantes do Departamento, da  Patrulha Maria da Penha, Polícia Civil, e do Executivo, por meio da Coordenadoria da Mulher de Ijuí, realizaram a entrega de panfletos, máscaras e álcool em gel, obedecendo a todas as orientações sanitárias preventivas ao coronavírus.
"Nós, enquanto Estado, acreditamos muito na prevenção, e isso se tem com os centros de referências e coordenadorias, porque existem diversos fatores que fazem com que a mulher não denuncie. O que nós precisamos, por meio destes centros de referência com atendimento psicossocial é que essas mulheres, quando forem às delegacias realizar registros, sejam encaminhadas a eles, porque lá elas são empoderadas, encorajadas a sair desse ciclo de violência doméstica, e é através destes centros que conseguimos descontruir a vergonha que sentem, o medo de fazer a denúncia, e fortalecê-las para que voltem ao mercado de  trabalho e rompa também com o ciclo de violência financeira", orienta Bianca.
Ela destaca a importância da união de forças e a responsabilidade coletiva em tornar o mundo um lugar melhor e mais seguro para as mulheres viverem.
Coordenadora da Mulher, Noemi Huth lembrou que dentro da programação, novas atividades devem ocorrer na próxima semana. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por