Notícia

Geral

Gestores terão grandes desafios no próximo ano

Postada 26/11/2020



Prefeitos e vices eleitos terão grandes desafios a partir de 2021, conforme afirmou o presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Maneco Hassen. Em entrevista ao Grupo JM, ele destacou que, além da pandemia de covid-19, há a estiagem, que atinge mais de 60 municípios do Rio Grande do Sul. “Certamente será um dos períodos mais difíceis das últimas décadas para quem está à frente da gestão pública. Os novos gestores terão que ter o pé no chão, muita responsabilidade, paciência e transparência para que a população compreenda as dificuldades dos municípios e possa ajudar”, destacou o presidente.
Assim como haverá dificuldade para início da gestão, será difícil, para os atuais prefeitos, fecharem o caixa neste ano. “Iniciamos 2020 com uma estiagem, depois fomos atropelados pela pandemia, e agora temos a seca novamente. Isso causa um problema grave nas contas. E a tendência é que, em 2021, esse cenário se amplie. Será um fim de ano difícil e um começo mais difícil ainda.”
De acordo com o presidente, na próxima segunda-feira será realizado o primeiro encontro com os novos gestores, promovido pela Famurs e pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Depois, será realizado um seminário, em meados de dezembro, a fim de estabelecer, com os novos prefeitos, a parceria que sempre marcou a entidade junto aos municípios e às associações regionais. “Não tenho dúvidas de que o trabalho coletivo e a troca de experiências são fundamentais no ano de 2021, porque o ano se desenha muito mais difícil do que já foi este.”
Não há expectativa de melhora, como destaca Maneco, mas, sim, que os problemas da sociedade se agravem. “Não há previsão de auxílio emergencial. Não deveremos ter auxílio aos municípios. Por outro lado, deve ocorrer um aumento na busca por serviços públicos e aumento na demanda pelas ações das prefeituras. Ou seja, haverá menos dinheiro e mais responsabilidades”, afirmou.
O presidente também comentou o resultado das eleições municipais. O Partido Progressistas, o MDB e o PDT mantiveram-se na liderança e foram as siglas que mais elegeram prefeitos gaúchos, durante o primeiro turno das eleições municipais 2020.  O PP foi o que mais conquistou prefeituras: 143 – uma a mais que o pleito anterior – e ainda disputa o segundo turno em Santa Maria. 
Na sequência, o MDB elegeu prefeitos em 135 municípios, dois a mais se comparado à eleição em 2016. 
Contudo, o partido ainda disputa, no segundo turno, o comando da capital gaúcha, Porto Alegre. Também se manteve entre os maiores partidos no Estado o PDT, com 65 eleitos, 13 gestores a menos do que a quatros anos atrás. 
Com o PT perdendo 16 prefeituras – totalizando 23 eleitos em 2020 –, a quarta sigla mais votada foi o PTB, que elegeu 31 prefeitos no Estado, dois a mais que o último pleito, e ainda disputa mais uma vaga na Prefeitura de Canoas. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por