Notícia

Geral

Retomada passa pela plena atividade do setor

Postada 22/10/2020



O fechamento de 200 mil empresas e de quase 90 mil vagas de empregos formais no Rio Grande do Sul, no período de março a setembro, divulgados recentemente, reforçam a preocupação da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS com a situação da economia gaúcha.
 Presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, em entrevista ao Grupo JM, afirma que a entidade representativa do varejo gaúcho alertou, ao longo dos últimos meses, que uma das consequências das duras restrições à atividade econômica estadual, como política de combate à pandemia da covid-19, seria a redução de um número significativo de postos de trabalho. 
"Desde março, quando se impuseram as restrições, a Federação buscou a liberação da atividade comercial, observando os protocolos estabelecidos pelas autoridades para o seu funcionamento, justamente para evitar esse impacto gravíssimo na vida de milhares de gaúchos. Ficar desempregado no atual cenário que vivemos é desolador", enfatiza Koch.
 A expectativa do presidente da FCDL-RS para os próximos meses é que uma reação dos indicadores de emprego e renda  seja sentida de forma mais intensa a partir deste mês, isso se a flexibilização das atividades econômicas tiver continuidade e for ampliada.
"Para que isso evolua de forma mais rápida, é necessário que as lojas possam ampliar seus horários de atendimento, o que ainda não acontece em praticamente todo o Estado. É preciso que a demanda leve os lojistas a buscarem o incremento de seu quadro funcional. Queremos, muito, ter essas condições concretizadas para que haja o crescimento dos indicadores."


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por