Notícia

Geral

Seminário debate competitividade na região

Postada 08/10/2020



A Assembleia Legislativa do Estado promoveu, na tarde de quinta-feira, o seminário virtual Competitividade pelo Rio Grande, Juntos para Começar, envolvendo as regiões Noroeste e das Missões. As lideranças analisaram os cenários sócio-econômicos e elencaram alternativas para alavancar o processo de desenvolvimento no pós-pandemia. O debate foi transmitido pela TV Assembleia e também pelo Youtube.
"Este seminário, que está em sua sétima etapa, faz parte de um projeto nosso, chamado de Andando pelo Rio Grande. Por meio dele, realizaremos encontros em oito regiões gaúchas, com foco na competitividade; nos desafios que temos para tornar o Rio Grande do Sul mais competitivo. Nesse sentido, estamos convidando para os debates pessoas do setor público, do meio acadêmico e, principalmente, representantes do setor privado", explicou ao Grupo JM o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo.
Durante o seminário, Polo alertou que, enquanto o Estado continuar perdendo posições no quesito da competitividade, mais longo será o caminho para o desenvolvimento. Ele se referiu a um recente levantamento divulgado pelo Centro de Liderança Pública (CLP) sobre a competitividade dos Estados, em que os gaúchos passaram do sétimo para o oitavo lugar no País, perdendo a posição para Minas Gerais.  
Para avançar, Polo acredita ser necessário atitude e uma ampla mobilização das lideranças gaúchas. Ele defendeu a redução da burocracia, a simplificação de processos, a diminuição da carga tributária e melhorias na qualidade de ensino e na rede de saúde. Além disso, argumentou que é preciso adequar o tamanho da máquina pública, estimular a inovação, ampliar a infraestrutura e valorizar o capital humano.
Ontem, foram painelistas o prefeito de Santa Rosa, Alcides Vicini; a reitora da Unijuí, Cátia Maria Nehring; o presidente da John Deere Brasil, Paulo Herrmann; o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Suínos do RS (Sips) e diretor-presidente da Alibem, José Roberto Goulart; o presidente da Fecoagro (Federação das Cooperativas Agropecuárias do RS), Paulo Pires; e o diretor-presidente da Puro Trato Nutrição Animal, João Alves Teixeira.
Representante de Ijuí, Cátia Nehring apresentou um panorama do que é o complexo da Unijuí – que envolve, também, a EFA, Rádio Unijuí FM e Museu Antropológico Diretor Pestana. Destacou, ainda, que a Universidade trabalha de forma descentralizada, com campus em Santa Rosa, Três Passos e Panambi, para além da sede em Ijuí. E que, hoje, esse complexo concentra mais de seis mil alunos – desde a Educação Básica até o Ensino Superior – e mais de mil funcionários.
“É importante entender a função da Universidade neste universo. Os jovens iniciam sua formação na instituição e essa formação tem impacto no desenvolvimento regional. Nesse momento, de crise, se faz ainda mais necessária a colaboração, a formação de alianças estratégicas capazes de reposicionar a região, para que se torne mais competitiva”, destacou a reitora, lembrando a necessidade de haver mais envolvimento entre poder público, empresas, Universidade e sociedade. “As alianças estratégicas poderão minimizar os riscos e as incertezas que são apresentadas”, completou.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected]om Desenvolvido por