Notícia

Comunidade

Comunidade pode fazer doações

Postada 21/09/2020



Cerca de 50 casas foram destelhadas com o temporal da última quarta-feira, fazendo com que muitas famílias tivessem prejuízos. Em razão disso, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SMDS) e a Defesa Civil estão trabalhando para fornecer o suporte necessário para as pessoas atingidas. Os locais mais prejudicados pelo temporal foram os bairros Alvorada, Elizabeth, Getúlio Vargas, Industrial e parte do Pindorama.
Titular da pasta, Romi Rohde conta que muitos móveis e agasalhos foram danificados pela água, que invadiu as residências. “Para podermos atender essas pessoas, nós precisamos também do apoio da comunidade, para que doem colchões, roupas de cama, cobertores, travesseiros e agasalhos.”
A Defesa Civil de Ijuí realizou o primeiro atendimento, distribuindo lonas para sanar temporariamente os problemas de destelhamento. “As questões dos materiais de construção estão tendo encaminhamento por parte da pasta, que está centralizando os pedidos para posterior entregas nas residências necessitadas”, explica, informando que algumas pessoas foram acolhidas por familiares, até conseguirem terem suas casas recuperadas.
Romi salienta que nenhum morador ficará desassistido, e esclarece que, para receber as telhas, o beneficiário precisa receber menos de três salários mínimos. “O cidadão precisa ter Cadastro Único, que também beneficia em até 25 programas, e para que a Secretaria tenha a garantia dos critérios que devem ser atendidos. Os que não possuem Cadastro Único, devem procurar a pasta para realizá-lo, para que a Defesa Civil possa entregar as telhas.”
A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Estado reuniu a equipe técnica da Sala de Situação da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e os coordenadores regionais para avaliar as condições climáticas previstas para os próximos três meses no Rio Grande do Sul. O objetivo é elaborar estratégias e medidas para mitigar os efeitos dessa condição meteorológica. 
Segundo a meteorologista da Sala de Situação da Sema, Cátia Valente, o modelo disponibilizado pelo International Research Institute for Climate Prediction (IRI) indica que "estamos entrando em um período de La Niña capaz de modificar a distribuição de calor, concentração de chuvas e formação de estiagem ao longo dos próximos meses".
No Brasil, o fenômeno La Niña provoca estiagem principalmente na região Sul. A região Sul do Estado segue na situação de atenção em função dos baixos volumes de chuvas registrados.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por