Notícia

Educação

Escolas infantis não tem prazo para retorno

Postada 21/09/2020



Nesta semana, o prefeito Valdir Heck e o secretário municipal de Educação (Smed), Eleandro Lizot, reuniram-se com proprietários de escolas privadas de Educação Infantil de Ijuí, que apresentaram ao poder Executivo reivindicações da área para o retorno das aulas, suspensas desde março, em função das medidas de distanciamento social para controle da pandemia.
Segundo Heck, durante o encontro, antes do retorno às aulas, é necessário que o município atinja uma maior estabilidade nos casos de covid-19. "A vontade é de retornar às aulas na rede particular, mas é preciso aguardar um período mais estável nos casos do que nos aventurarmos e depois precisarmos fechar novamente", disse.
Ainda durante o encontro, foi repassado aos empresários que não há data definida para o retorno, mas que a decisão passa por avaliação do Comitê da Saúde; o município precisa permanecer  na Bandeira Laranja; e, caso seja viável a reabertura das escolas infantis, é necessário seguir todos os protocolos elaborados no Plano de Contingência.
A falta de uma decisão, deixou os participantes do encontro insatisfeitos. "O prefeito nos disse, na primeira reunião, que assim que o governador liberasse, também faria, mas recuou e agora o discurso é bem mais político. Que estamos vivendo em uma pandemia e que não se tem certeza se é segura a liberação. Mas, os mesmos critérios não são usados para liberação das quadras esportivas e casas noturnas. A verdade é que estamos em período eleitoral. O poder Executivo não está disposto a investir para que as escolas públicas possam abrir, e se as privadas forem liberadas, o povo irá questionar e, possivelmente, se revoltar", comenta o proprietário de uma Escola Infantil, que pediu para não ser identificado, mas que participou do encontro, em que, segundo ele, os gestores apenas disseram que uma nova reunião seria realizada ontem, com o Comitê de Enfrentamento à Crise, onde iriam decidir pelo retorno na próxima semana, ou não.
Ao Grupo JM, o empresário lembrou que as escolas particulares estão enfrentando sérias dificuldades financeiras."As crianças estão ficando doentes em casa, muitas estão em casas com aglomeração de crianças e sem nenhum cuidado sanitário, e o ano de desenvolvimento físico, mental e emocional está sendo perdido", afirmou. "As escolas não conseguirão sobreviver fechadas. E a falta de vagas no município para o próximo ano será desastrosa. Enquanto outros municípios priorizam a Educação, o nosso, infelizmente, só se preocupa em permanecer no poder. Se as aulas não retornarem até o final do mês, mais escolas irão fechar.
O Grupo JM entrou em contato com as escolas particulares, que também oferecem o Ensino Infantil. "Quem participou da reunião foram os diretores das escolas de Educação Infantil. Nós atendemos duas turmas desse nível. 
Estamos aguardando o decreto do prefeito", respondeu a diretora da Escola Adventista, Eliane Dias.  "O Ceap não foi convidado para a reunião. Como não participamos, não temos mais informações. Aguardamos a posição oficial do Estado e município.  Vamos fazer conforme as determinações", informou a assessoria do Ceap.
Conforme a assessoria de imprensa da EFA, a escola não participou da reunião e não há previsão de retorno.
"Não tem nenhuma definição sobre isso ainda, terá uma reunião na semana que vem, acredito que terça-feira, talvez tenha uma definição", informou a coordenadora de Comunicação da prefeitura, Marina Moesch.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por