Notícia

Economia

Planejamento é desafio de empresas na pandemia

Postada 02/06/2020



Neste cenário de crise e pandemia ocasionado pela Covid-19, a humanidade enfrenta um dos maiores desafios dos últimos tempos. As organizações precisaram se adaptar rapidamente à nova realidade. Empresas fechadas, trabalho home office, reuniões virtuais, alterações na legislação trabalhista e tributária são alguns dos exemplos de mudanças que ocorreram e que ainda merecem atenção. 
A  presidente do Sindicato dos Contabilistas de Ijuí, Luciane Schneider,  afirma que diante dos desafios e incertezas que se apresentam, é importante que os empreendedores busquem, mais do que nunca, orientação adequada e planejamento. 
"Neste cenário, em que buscamos muita informação em fontes confiáveis sobre como enfrentar  a Covid-19, eu entendo que é preciso estabelecer uma parceria  confiável entre o contador e a empresa. O profissional que neste momento pode orientar a empresa na sua gestão, e o contador se torna fundamental neste processo."
No Brasil, apesar de desalinhamentos entre os poderes Executivo e Legislativo, têm ocorrido avanços no âmbito federal:
Medida Provisória nº 927/2020 postergou o recolhimento do FGTS pelos empregadores referente a março, abril e maio de 2020, parcelando-o em até seis vezes, a partir de julho, sem multa e encargos.
Já a resolução CGSN nº 154/2020  prorrogou o pagamento dos tributos federais no âmbito do Simples Nacional, considerando os períodos de apuração de março, abril e maio de 2020 para pagamento em outubro, novembro e dezembro, respectivamente.
A Portaria Conjunta RFB/PGFN nº 555/2020 prorroga, por 90 dias, a validade das Certidões Negativas de Débitos relativas a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CND) e Certidões Positivas com Efeitos de Negativa de Débitos relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União (CPEND).
Por fim, a Portaria PGFN n° 9.924/2020 estabelece transação extraordinária na cobrança da dívida ativa da União por meio de adesão à proposta pela plataforma Regularize da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.
Essa transação prevê o parcelamento em até três vezes da entrada de 1% dos débitos e, o restante, em até 81 meses ou, na hipótese de pessoa natural, empresário individual, microempresa ou empresa de pequeno porte, 97 meses. O diferimento do pagamento da primeira parcela fica para o último dia útil do mês de junho de 2020.
Com todas essas mudanças Luciane afirma que  o planejamento é a palavra de ordem. Para as empresas, a necessidade de planejar com cabeça fria é ainda maior para lidar com a crise e se beneficiar desses incentivos. "Tudo o que está acontecendo neste momento é novo e exige muito cuidado e estratégia. E, por isso, é importante que a empresa identifique seus pontos fortes, fracos, procurações pertinentes a crise, o que precisa ser cortado. E a mensuração desses dados eles podem ser identificados através da contabilidade."
A presidente dos Contabilistas de Ijuí ressalta ainda importância  dos empresários de  identificar, registrar os efeitos dessas mudanças nos relatórios contábeis para que eles possam ser usados nas estratégias das empresas no futuro. "Neste momento, os gestores utilizam esses relatórios para orientar a empresa num planejamento estratégico. Eu acredito que muitos orçamentos foram elaborados com base nos relatórios contábeis de 2019 e foram realizadas projeções para 2020 e não estavam prevendo uma crise. Então por este motivo algumas coisas precisam ser reavaliadas, redefinidas e adaptadas para este novo momento", finaliza a contabilista. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por