Notícia

Economia

Procon recomenda negociação de contratos

Postada 21/05/2020



us reflete em vários setores da sociedade. O coordenador do Procon de Ijuí, Nelson Copetti, afirma que  dos mais de 160 atendimentos realizados pelo órgão de proteção desde o início da pandemia, a maioria deles era relacionado a questões envolvendo negociações entre consumidores e fornecedores. 
"Houve um aumento de consumidores buscando informações relacionadas as dívidas, negociações  com bancos, financeiras, lojas, principalmente relacionado a cartões de crédito", lembrando que muitas pessoas não lêem os contratos  e por isso desconhecem as regras de empréstimos. 
Para facilitar a conciliação entre consumidor e fornecedor em função dos reflexos do coronavírus nas relações comerciais, a   Associação Gaúcha de Procons Municipais (AGPM, em parceria com a  Assembleia Legislativa, por meio da Comissão Mista Permanente de Defesa do Consumidor e Participação Legislativa, lançou uma campanha de esclarecimento.
Em sua primeira fase, a campanha, que tem como slogan "É no acordo que sairemos mais fortes", tem como objetivo fazer uma ação efetiva para que empresas façam negociações com seus clientes, se comprometendo a informar os resultados posteriores. Atualmente, o sistema é formado por 87 Procons no Rio Grande do Sul. 
A presidente da AGPM, Marcia Moro da Rocha, explica que a ideia, pioneira no país, nasceu da dificuldade de consenso entre as partes neste momento ímpar no mundo. "Consumidores e fornecedores precisam uns dos outros. Nosso objetivo é realizar o chamamento de empresas para que elas possam compartilhar com a comunidade as ações que estão adotando para a negociação de contratos, servindo também de modelo para outras, estimulando a negociação, a construção conjunta de soluções e preservação dos vínculos", lembrando que neste momento o consumidor está pagando a conta. "Temos que dividir o problema entre fornecedores e consumidores, porque não dá apenas para um lado ganhar. E o que temos observado é que somente o consumidor que está pagando esta conta".
Segundo Marcia Rocha não existe nenhuma medida econômica de nenhuma esfera governamental que pense no consumidor. "Nenhuma Medida Provisória foi criada em benefício ao consumidor. Conseguimos agora a aprovação de um parecer de um  Projeto de Lei  que vai aliviar alguma coisa, mas as medidas provisórias são apenas para os fornecedores". 
No fim do mês, o Procon Gaúcho também lançará uma cartilha virtual para orientar os consumidores. De acordo com o Procon RS, o material de teor educativo deve detalhar regras das compras feitas na internet e explicar temas como o direito de arrependimento e o prazo para trocas. Também serão mencionados detalhes sobre a aquisição de produtos e serviços utilizados no combate à pandemia.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por