Notícia

Geral

Governo e escolas privadas discutem volta às aulas

Postada 14/05/2020



O Sindicato do Ensino Privado (Sinepe-RS) avalia que seria viável retomar as atividades nas escolas entre o final de maio e o começo de junho no Rio Grande do Sul. Uma definição mais precisa depende da conclusão de protocolos de segurança a serem adotados em todos os estabelecimentos para reduzir o risco de transmissão do coronavírus. 
Em entrrevista ao Grupo JM, o presidente do Sinepe-RS, Bruno Eizerik, disse que a entidade vem colaborando com o governo gaúcho para detalhar as regras de segurança a serem cumpridas nos colégios, já que a Educação ficou fora do decreto sobre o plano de distanciamento controlado em vigor. A expectativa é de que esse conjunto de normas seja elaborado até o final desta semana, o que permitiria avaliar com mais clareza o que cada escola precisa fazer para se adaptar, e quanto tempo isso levaria. " O ideal é pensarmos em uma volta no começo de junho, mas não devemos descartar que seja possível fazer isso ainda no final de maio." 
Outro ponto em discussão é que o que será autorizado conforme a cor da bandeira de cada região pelo novo sistema de distanciamento (bandeiras mais escuras indicam maior risco de transmissão e menor capacidade de atendimento, o que aumenta a restrição de atividades). 
"Tudo depende da bandeira de cada região também. Sob bandeiras preta ou vermelha, não tem como pensar em voltar. Isso seria possível sob a amarela, e estamos discutindo o que seria possível na laranja", revela o presidente do Sinepe-RS. 
Um item já acertado é que a volta será escalonada, com parte dos estudantes retornando às salas de aula em períodos sucessivos. Medidas de segurança previstas no protocolo geral já publicado pelo Piratini também serão cumpridas nos estabelecimentos de ensino, como o uso de máscaras. 
Um dos temas mais sensíveis é a situação das escolas de Educação Infantil (zero a cinco anos), já que é praticamente impossível evitar contato entre educadores e bebês ou crianças de menos idade. 
Amanhã o governo gaúcho planeja anunciar a data de retorno gradual das atividades de ensino em todo o Estado e os nove protocolos que terão de ser considerados para esta retomada. Segundo informou o governador Eduardo Leite durante live na tarde da última terça-feira, o processo de volta às aulas nas redes pública e privadas integrará modelo presencial e de ensino a distância. O retorno deverá ser gradual, alternando atividades presenciais e de ensino à distância. Os protocolos vão valer para escolas de ensino infantil, básico, fundamental, profissionalizante e universidades. 
A Secretaria de Planejamento e a Secretaria de Educação estudam pelo menos nove protocolos para garantir a segurança dos estudantes e funcionários no retorno das aulas presenciais da rede pública e privada do Estado. Conforme Leite, estas estratégias vão desde o acesso das crianças na sala de aula até a limpeza dos espaços e a prática pedagógica.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por