Notícia

Economia

Pagamento de auxílio de R$ 600 começa hoje

Postada 07/04/2020



O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, anunciou que trabalhadores que possuem conta na Caixa Econômica Federal e que atendem aos pré-requisitos estabelecidos pelo governo contarão com o auxílio emergencial de R$ 600 já a partir de hoje. Para correntistas do Banco do Brasil, a liberação deve ocorrer na quarta-feira. O benefício, aprovado pelo Congresso e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, é uma forma de ajudar famílias durante a pandemia do coronavírus.
O pagamento do auxílio deve ocorrer por três meses, mas poderá ser prorrogado conforme o avanço da doença. "Temos que ver esse volume, que vai oscilar entre 15 e 20 milhões de pessoas para saber quantos são clientes da Caixa. Essa mesma listagem vai rodar Caixa e Banco do Brasil para estar na conta de milhões de pessoas na quarta."
Onyx Lorenzoni afirmou que o governo está nos ajustes finais para a liberação do aplicativo que vai auxiliar os trabalhadores com informações sobre o pagamento. A expectativa é que seja um dos apps mais procurados do Brasil e do mundo. "Esperamos que o aplicativo estando ok hoje, rode bem amanhã. Estamos esperando no mínimo 1 milhão (de usuários) no dia. Talvez seja um dos aplicativos mais baixados do mundo. Temos que conversar com todas as operadoras para não cair." 
O ministro da Cidadania também defendeu a possibilidade de diminuição da quarentena após a Páscoa, desde que o fim do isolamento seja feito de forma gradual e equilibrada. "Estou dando minha opinião, nunca fiquei em cima do muro. Eu sempre tenho lado e eu defendo isso, claramente. Com responsabilidade, de maneira gradual, vamos retomando as atividades. Uma parcela não é teoricamente suscetível ao vírus para ser hospitalizado. Na medida que você tem o grupo de risco. Todo mundo está remoto, eu estou aqui. Sou comandante e tenho que dar exemplo. Essa é minha missão, tive que explicar isso em casa, para a família. Temos que caminhar com base no equilíbrio e bom senso", afirmou. 
"Tem serviços essenciais. Se para a indústria química, para a produção de remédios. Tem um conjunto de atividades que os governos têm que dar total cobertura, mas as pessoas têm que continuar produzindo. Tem que se alimentar, tem medicamentos. O primeiro passo vai para o essencial e depois abre outros setores. Temos que cuidar dos idosos, família em revezamento para levar alimento. Temos que proteger os nossos, cada um tem o seu dever", ressalta. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por