Notícia

Economia

Otimismo cede lugar à preocupação

Postada 10/03/2020



Conforme análise dos dados divulgados pela Emater/Ascar-RS relativos à safra de verão, as grandes perdas com a estiagem envolvem o milho, grão e silagem, e a soja.
A área de plantio do milho no Estado, considerando a estimativa inicial e a área atual, teve aumento de 1,5%. Porém, os reflexos da estiagem apontam redução superior a 20% na média de produção e na produtividade da cultura - das esperadas 5,9 milhões de toneladas, houve queda para 4,6 (-21%); na produtividade média, de 7,7 mil kg/ha para 5,9 mil kg/ha  (-22,3%).
No milho silagem não foi diferença, a redução da produção e da produtividade também foi de cerca de 20%. A expectativa de produção inicial era de 12,5 milhões de toneladas; agora, é de 9,9 milhões de toneladas.
A soja também apresentou resultados negativos. Entre a expectativa inicial e a estimativa atual, a redução na produção foi de 16,2%, nos mais de 5,9 milhões de hectares plantados. Dos esperados 19,7 milhões de toneladas, a cultura deverá encerrar a safra com uma produção aproximada de 16,5 milhões de toneladas. Em comparação com a safra passada, a cultura apresenta redução de 10% na produção.
Os efeitos da estiagem também afetaram as demais culturas de verão, como o feijão e o arroz.
A situação é praticamente a mesma em todo o Estado, e a preocupação com a estiagem até agora levou 125 municípios a decretar situação de emergência, como é o caso de Panambi, que recorreu ao decreto ainda em janeiro deste ano, em função dos impactos negativos na agricultura. Com o decreto de emergência, produtores rurais têm mais oportunidades de negociação de dívidas e de crédito junto às instituições financeiras. 
Em algumas regiões do município não chove há cerca de 30 dias e o alerta, segundo o prefeito Daniel Hinnah, é de que a população faça o consumo consciente da água, uma vez que o nível do rio Fiúza, que abastece a zona urbana da cidade com água potável, está baixo. "Queremos que os agricultores tenham acesso à renegociação de dívidas, alongamento de financiamentos, em função da quebra na safra. Gostaríamos [prefeitura] de ter ajuda a nível estadual e federal, mas é pouco provável que isso aconteça, até porquê o impacto é em quase todo o Estado", comenta Hinnah. "Não foi necessário levar caminhão pipa ao interior, por exemplo, mas se a situação continuar desse jeito, vem a preocupação com os impactos direto às pessoas."
Em Bozano, uma reunião foi realizada para avaliar os efeitos da estiagem no município. Nos próximos dias, a situação será levada à Emater, com o intuito de ser decretada situação de emergência. Segundo o prefeito, Ernesto Nicoletti, muitos produtores estão solicitando auxílio em relação à água.
A forte estiagem também foi pauta de reunião entre a prefeitura de Augusto Pestana, Emater, entidades e empresas ligadas à área agrícola, com objetivo de levantar dados para embasar uma possível decretação de emergência.
Apesar dos números apresentados pela Emater, levantamento feito pela Aprosoja eleva a projeção de quebra na safra para em torno de 35%. Vice-presidente da Aprosoja, Ireneu Orth explica que a cada dia sem chuva a situação, que segundo ele "já é crítica", piora. Ele destaca que a entidade tem relatos de regiões onde a perda na safra já se consolida entre 60 e 85% e outras onde nada deve ser colhido.
Em 2019, Augusto Pestana teve uma média de produção de 56 sacas por hectare. Para este ano, a expectativa é uma quebra de 50% em relação ao último período. Além dos prejuízos com as lavouras, a produção de leite também deve ser afetada pela estiagem. A decisão do Executivo deve ser anunciada ainda nesta semana.
Na região de Ijuí, conforme análise do diretor técnico da Emater, Alencar Paulo Rugeri, é observada uma diferença significativa. "A cada dia que passa, temos uma demanda hídrica que não vem e a planta aborta. As perdas vão continuar enquanto não houver chuva homogênea em todo o Estado."
A previsão do tempo para março é pouco animadora para os agricultores. Até o dia 15 não há indicativo de chuva em todo o território gaúcho.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por