Notícia

Esportes

O trabalho de um analista de desempenho

Postada 24/01/2020



Mateus Bolivar  atua no  São Luiz desde o início da pré-temporada em novembro

A comissão técnica do São Luiz tem desde o início da pré-temporada mais um novo integrante, o analista de desempenho Mateus Bolivar. Natural de Santa Maria, desde os 18 anos está envolvido com o futebol. Bacharel em Educação Física pela Faculdade Metodista de Santa Maria(FAMES) atuou no Inter-SM desde 2010 e dois anos depois passou a trabalhar como preparador de goleiros. Em 2017 iniciou como analista de desempenho. O JM conversou com Mateus sobre a função.

JM- Como atua um analista de desempenho?
Mateus Bolivar-A forma como a gente operacionaliza o processo é assim. Dividimos em três momentos. Primeiro a gente faz o mapeamento das sessões de treinamento, após isso o mapeamento dos adversários e também dos jogos. Analisamos a nossa própria equipe, os pontos positivos e negativos, aquilo que a gente tem que ajustar e perante isso vamos corrigindo. O nosso grande objetivo é reproduzir aquilo que a gente fez no treinamento no campo de jogo.
JM-De que maneira os jogadores recebem o material?
Mateus Bolivar- Reunimos em sessões de vídeo, em ações coletivas com todo o grupo e também em algumas ações setoriais e individuais para posterior ajuste de comportamento tático e assim vamos tentando ajustar aqueles comportamentos que ainda não estão ideais. Primeiro a gente passa para a comissão técnica, ajusta bem o que vamos pedir para os atletas e a partir desta forma a gente vai passando para os nossos jogadores e eles vão assimilando e aos poucos pegando a nossa ideia e nosso modelo de jogo.
JM- Existe a integração com os analistas dos outros clubes do Gauchão?
Mateus Bolivar-É uma função que está em alta no futebol moderno. É um diferencial que os clubes começaram a aderir. Então todo o clube da Série A do Campeonato Gaúcho tem um analista. Inclusive foi feito um grupo para a gente trocar materiais visando posterior análise. O clube está evidenciando essa função porque sabe que ela é determinante para o desempenho do time dentro de campo.
JM- Tem a troca de materiais então?
Mateus Bolivar- Sim. Todos os analistas estão atentos aos adversários que vão enfrentar, principalmente no início de competição. A gente fica bem atento para conseguir coletar material para fazer a posterior análise levando uma boa estratégia para o jogo.
JM- Você trabalhou no Inter-SM. Como iniciou nesta função?
Mateus Bolivar- Comecei no Inter-SM em 2010. Primeiramente exerci a função de treinador de goleiros e a partir de 2017 iniciei na função de analista de desempenho. Trabalhei com o técnico Vinicius Munhoz e a partir daí começamos a estudar, tentar nos preparar o melhor possível para exercer essa função. Acredito que seja uma função muito minuciosa onde é preciso estar atento a detalhes para que consiga passar o maior número de informações possíveis. Isso é extremamente determinante para o desempenho da equipe dentro de campo.
JM- Qual profissional você destacaria no país nesta função?
Mateus Bolivar-Existem inúmeros analistas no Brasil, inclusive alguns trabalhando fora. Não cito nomes, mas tem departamentos de análises que são vistos como os melhores do país, os do Corinthians e do Flamengo. Não tem apenas um analista. São inúmeros e cada um coleta variáveis que conseguem implementar dentro de campo. São nesses profissionais e centros de análises que a gente tenta se espelhar para que consiga priorizar e otimizar ainda mais o nosso trabalho para que reflita em campo.
JM-Percebe que a torcida, a crônica  esportiva, o atleta e os dirigentes têm acompanhado a evolução e a nova linguagem do futebol?
Mateus Bolivar- Com certeza, o futebol vem sendo cada vez mais estudado, cada vez se tem mais grupos de estudo. O pessoal que trabalha dentro do futebol está procurando  cada vez mais o conhecimento não só na função de análise, mas na função técnica e  na área de preparação física.Em todos os setores se procura evoluir. Toda e qualquer fundamentação em qualquer setor sem estudo não evolui. O modelo e a ideia de jogo de todas as equipes estão em uma evolução gradual e assim não é diferente, a gente tenta trazer o máximo de conhecimento que adquiriu para dentro do clube, para que a gente consiga tornar uma equipe sempre muito forte e bem  compactada dentro de campo, trazendo o máximo de informação relevante para os atletas e comissão técnica.

 


Mais Fotos

Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por