Notícia

Saúde

Curso de Medicina incentiva organização de municípios

Postada 22/01/2020



Anunciada pela reitora da Unijuí, professora Cátia Nehring, a proposta de ampliação das vagas no curso de Medicina, das atuais 50 para 80 ao ano, atende principalmente à demanda – conforme afirmou o coordenador do curso, médico Jorge Brust. “A ampliação também está dentro daquilo que a universidade e toda a estrutura da rede pública de saúde, que a rede hospitalar, permitem, mantendo um bom padrão de ensino e aprendizagem. É um objetivo nosso oferecer sempre mais”, destacou o coordenador. Para garantir a qualidade do curso, a Unijuí aposta não só em equipamentos de última geração, na ampliação de suas estruturas, mas também na preparação dos profissionais. “Precisamos preparar os professores para que compreendam a importância, o que representam as 9 mil horas de um curso de Medicina. Consideramos a formação dos profissionais extremamente importante. Também apostamos na aparelhagem. Contamos com equipamentos de ponta na instituição. E quanto à estrutura física, estamos ajustando e ampliando os espaços de acordo com a necessidade”, explica o coordenador, lembrando que o curso de Medicina precisa de muito espaço. “Todos os laboratórios estão sendo duplicados: da anatomia, bioquímica, histologia, fisiologia. Temos o desafio de dividir os alunos, tanto para aulas práticas dentro da universidade quanto fora, para atuação na rede básica, nos hospitais. Mas tudo isso vem ocorrendo.” Embora entidades médicas afirmem que há médicos suficientes no País, Brust observa que há uma demanda significativa por profissionais na região. “É só perguntar ao secretário de saúde quantos médicos são necessários na rede básica”, diz, lembrando que o primeiro passo, a implantação do curso de Medicina, foi dado. Mas que a função da universidade é garantir uma boa formação aos profissionais. Cabe, agora, aos municípios a oferta de locais adequados de trabalho aos futuros médicos. “A região brigou pelo curso de Medicina. E cabe a ela, aos municípios, se organizar politicamente e economicamente para que seu sistema de saúde possa oferecer vagas e condições adequadas em hospitais e postos de saúde, para que esses profissionais possam trabalhar.” O curso de Medicina da Unijuí tem uma característica importante: entre 60 e 70% dos alunos são da região ou pertencentes a famílias que eram de municípios próximos a Ijuí, mas que acabaram migrando. A instituição acaba estimulando a formação e a permanência. “Mas, claro, para manter os profissionais nos municípios é necessária uma carreira na medicina. A formação de mais pessoas pode não resolver todo o problema da falta de médicos, mas é um caminho. Agora, os municípios devem garantir estrutura, condições para que estes alunos, no futuro, possam exercer suas profissões de forma correta. Com o suporte de laboratórios, de imagem, com centros em que possam realizar cirurgias adequadas. Essa estruturação cabe ao município e também ao Estado.” O Vestibular de Medicina está com inscrições abertas, até o dia 26 de janeiro. Para concorrer a uma vaga, os candidatos devem indicar uma nota do Enem, válida a partir de 2016, e realizar a prova, no dia 2 de fevereiro, composta por questões objetivas e de redação. Via Programa Universidade para Todos (ProUni), são ofertadas seis bolsas integrais com 100% de gratuidade.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por