Notícia

Geral

Ações terão base na Agenda 20/30 da ONU

Postada 30/12/2019



O Fórum da Agenda 21 realizou planejamento para o biênio, durante a última reunião do ano,  tendo como base os objetivos de desenvolvimento sustentável da Agenda 20/30, traçados pela Organização das Nações Unidas (ONU): ao todo, são 17 objetivos, com 169 metas, que vão desde a erradicação da pobreza e questões ligadas a ambientes aquáticos e terrestres até alimentação saudável e a geração de emprego e renda.
"Colocamos uma série de questões, principalmente aquilo que nós já trabalhamos, por exemplo, aqui em Ijuí, na Agenda 21, seja nas instituições ou nas próprias escolas, que são nosso maior público, que estão conectadas a essas questões dos objetivos de desenvolvimento sustentável", comenta a professora da Unijuí, presidente da Associação Ijuiense de Proteção ao Ambiente Natural (Aipan) e coordenadora do Fórum, Francesca Ferreira.
O Fórum de Ijuí volta se reunir em fevereiro e algumas ações já foram definidas, como a realização de uma capacitação voltada ao desenvolvimento sustentável e o retorno da Agenda 21 Itinerante, em que ocorrem ações em diferentes escolas e nos bairros. "No ano que vem a proposta é continuarmos fazendo isso. Também fazer [os encontros] em diferente locais, não somente na sede acadêmica, que é o local de referência."
Em entrevista ao Grupo JM, Francesca destacou 2019 como sendo um ano muito difícil do ponto de vista ambiental. "Os desafios que nos foram colocados a partir de janeiro, temos o descaso dos governos, federal e estadual, em relação ao meio ambiente e educação, duas coisas que trabalhamos diretamente, incluindo a questão da cultura."
A ambientalista cita a aprovação do Código Ambiental do Rio Grande do Sul, definindo como "uma manobra irresponsável" conduzida de "forma ilegal". "Falando exclusivamente da forma que foi colocada na Assembleia Legislativa e votada. Agora temos o desafio de realizar todas as avaliações e encaminhamentos  possíveis em relação à questão legal do conteúdo do Código Ambiental. A maior parte dos artigos que foram modificados não tem nenhuma fundamentação teórica acompanhando ou justificando. Então, estamos juntos com as demais entidades ambientalistas do Rio Grande do Sul, realizando uma avaliação de artigo por artigo colocando uma contra justificativa."
Como ponto positivo, Francesca pontua o pagamento da terceira parcela do convênio firmado pela Aipan com a Secretaria de Cultura, relativa ao ponto de cultura. A terceira etapa teve início neste semestre e encerra-se em meados de junho de 2020. "É algo positivo uma vez que é um trabalho que vinha sendo realizado em duas comunidades escolares em Ijuí, e que tivemos que diminuir o ritmo de trabalho em função de não termos recursos."


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por