Notícia

Saúde

Atendimento rápido é crucial em caso de AVC

Postada 30/10/2019



Segundo o neurocirurgião do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI), Felipe Castro, o Acidente Vascular Cerebral (AVC) é responsável, hoje, por 70% dos casos de invalidez em pacientes com idade economicamente ativa. Não é à toa que datas como o Dia Mundial do AVC, transcorrido ontem, chamam a atenção para a prevenção do acidente e para a identificação dos sinais.
“Por AVC, nós entendemos qualquer evento circulatório cerebral que interrompa o funcionamento do cérebro. Dois são os tipos mais comuns: o primeiro, hemorrágico, acontece quando há a ruptura  do vaso cerebral. Este é o tipo menos frequente, identificável em 20% dos AVCs. E há o isquêmico, que ocorre quando há o entupimento de um vaso sanguíneo cerebral, fazendo com que morra o tecido e essa região perca a função”, explica o especialista.
Identificar rapidamente os sinais do AVC é importante para que o paciente chegue o mais rapidamente possível ao médico e receba o tratamento adequado. “Hoje temos à disposição, até no SUS, um tratamento com medicamento, que faz com que tenhamos resultados na prevenção de sequelas, mas que só pode ser oferecido para determinados pacientes. Em especial, aqueles que chegam ao hospital logo depois do AVC. O ideal é que o medicamento seja administrado em até 4h30”, destaca o médico.
Familiares e amigos devem ficar atentos a alguns sinais: a pessoa que sofre o Acidente Vascular Cerebral pode ter a força muscular reduzida em um dos lados do corpo, com um braço que não levanta, por exemplo. O familiar ou amigo pode pedir para o paciente sorrir e identificar um sinal se a boca estiver torta.  Também é possível pedir para o paciente contar de 1 a 5, para que seja possível identificar mudanças na linguagem e na fala. Em 95% dos casos, segundo o médico, um destes sinais aparece.
Como destaca Castro, nenhum fator isolado é a causa de um AVC. Há fatores de risco que, somados, desencadeiam o acidente. E dentre estes fatores, há os que podem ser prevenidos. A pressão alta deve ser controlada, assim como o diabetes. Os hábitos de beber e fumar também são nocivos à circulação cerebral, assim como o sedentarismo. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por