Notícia

Geral

Projeto com alterações no Plano Diretor é apresentado

Postada 19/09/2019



Instituída em 10 de setembro deste ano, a Comissão Especial  que analisa alterações no Plano Diretor Participativo, propostas pelo Executivo, realizou sua primeira reunião na manhã de ontem, envolvendo a secretária de Planejamento, Márcia Boniatti, o arquiteto, Ivo Dobler, que integra o Conselho Municipal do Plano Diretor Participativo (Compladip), e o engenheiro, Celso Lucchese, que trabalha diretamente com o plano.
No encontro, a secretária fez a entrega do projeto que prevê as atualizações e/ou alterações no Plano, que foi instituído em 2012. "Ele precisa ser revisado, atualizado e modernizado a cada tempo", comenta Márcia.
O Compladip trabalha nestas alterações, desde 2017, quando foram realizadas reuniões envolvendo todos os setores afetados pelo Plano, incluindo uma audiência pública. No início deste ano, todas as informações foram compiladas neste projeto, apresentado ontem.
Márcia destaca a importância de Dobler e Lucchese no encontro. "Os dois têm propriedade para falar das alterações e os motivos. Eles estavam juntos para justificar aos vereadores e ajudá-los na aprovação ou não da proposta."
Em função do tamanho do Plano e os inúmeros detalhes que contém, uma nova reunião será realizada na próxima semana, entre secretária e parlamentares. Depois, será realizada reunião com imobiliárias e profissionais da construção civil, e uma audiência pública para apresentar as novas propostas à comunidade. "E, no final, há um artigo que diz que, se o Legislativo fizer alguma proposta cabe avaliação do Conselho, e depois vai à sanção do prefeito."
A Comissão Especial é formada pelo presidente Ênio dos Santos (PDT), pelo relator César Busnello (PSB), e pelos vereadores Marildo Krombauer (PDT) e Rubem Jagmin (Progressistas).
Um dos questionamentos do relator foi a necessidade de que todas as alterações passem pelo Compladip. Tirando esse detalhe, o momento foi de ouvir as propostas, segundo Busnello. "Foi uma reunião muito interessante, onde ouvimos e indagamos acerca dos pontos que eles estão sugerindo para melhorar e qualificar, um pontapé inicial", contou o vereador ao Grupo JM. "Não foram feitas indagações mais severas, uma das que foi mais forte e gerou um debate maior foi a questão do porquê que todas as propostas de alteração do Plano Diretor têm que passar pelo Conselho. A reunião se limitou praticamente a assistir a exposição por parte dos profissionais, dos pontos que serão alterados. Mais  para frente, após uma análise detalhada, obviamente faremos um debate maior das divergências que poderão ter."


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por