Notícia

Geral

Sebrae facilita crédito aos pequenos empresários

Postada 17/09/2019



Um novo tipo de empresa, sancionado em abril pelo presidente Jair Bolsonaro, deve impactar o mercado brasileiro como um todo ao facilitar acesso a crédito em pequenas e médias empresas. A Empresa Simples de Crédito, mais conhecida como ESC, é um novo tipo de negócio que realiza operações de empréstimos e financiamentos exclusivamente para Microempreendedores Individuais (MEI), microempresas e empresas de pequeno porte, utilizando-se exclusivamente de capital próprio, com objetivo de fomentar e facilitar o acesso ao crédito, aquecendo a economia do País.
A Lei que possibilita a criação da ESC ainda gera dúvidas sobre seu funcionamento. Para elucidar empresários locais sobre o tema, tanto emprestadores quanto tomadores de crédito, o Sebrae de Ijuí realiza hoje, a partir das 19h, o Encontro de Negócios – Empresa Simples de Crédito, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Ijuí (ACI). Também são promotores do evento o Sindilojas e o poder público, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico.
"Essa nova modalidade de crédito proporciona que aquela pessoa que tem capital próprio possa emprestar a pequenas e micro empresas de uma forma legal. Hoje, se a gente levar em consideração que 80% das operações de crédito no Brasil ocorrem apenas em cinco grandes bancos, vemos que há uma oportunidade bastante grande. Para se ter uma ideia, no Rio Grande do Sul, 44% é a taxa de juros média que esses bancos têm cobrado. Então, essa modalidade nova de operação entra como uma forma de concorrer com os sistemas bancários convencionais e é justamente isso que gostaríamos de apresentar, até porque o Sebrae tem uma forma de estar estruturando esses empresários e essas pessoas que gostariam de estar se tornando uma empresa simples de crédito", explica o gerente regional do Sebrae, em Ijuí, Armando Petinelli.
Técnicos do Sebrae explicarão aos mais de 70 participantes inscritos o passo a passo para se tornar tanto um tomador de dinheiro quanto emprestador. As ESCs podem ser geridas por um só empresário ou por uma sociedade, desde que incluam em seu quadro apenas uma pessoa jurídica. Esse tipo de empresa tem, por definição, apenas um objetivo: fornecer créditos para outras pessoas jurídicas do mesmo município, ou de municípios da mesma região.Somente instituições reguladas pelo Banco Central podem fazer empréstimos hoje, o que, muitas vezes, limita o orçamento das pequenas empresas que não conseguem o crédito necessário por meio dos bancos e, consequentemente, não investem em seus negócios.
"Todo e qualquer empresário ou pessoa física que tenha dinheiro disponível e que queira, ao invés de deixar aplicado em uma poupança a taxas de juros que já conhecemos, trabalhar com um rendimento maior, terá essa oportunidade, através da ESC", pontua Petinelli. Segundo ele, até o momento, já foram criadas cerca de 200 ESCs no Rio Grande do Sul, o que permite ao dinheiro circular dentro destas comunidades.  "A gente acredita, como Sebrae, que é uma grande oportunidade para pequenos negócios que precisam tomar dinheiro no mercado a taxas de juros mais competitivas"
O Sebrae também estará presente na Expo-Ijuí/Fenadi, com o Seminário da Cadeia do Leite, no dia 17 de outubro, a partir das 9h, na Casa do Produtor, no Parque de Exposições Wanderley Burmann. Serão tratados temas como legislação e sucessão rural. Interessados devem entrar em contato com o Sebrae, que conta com a participação de 300 produtores.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por