Notícia

Educação

Cpers exige readmissão de professores

Postada 02/09/2019



A situação de professores contratados têm preocupado o Cpers-Sindicato. Segundo a diretora estadual, Helenir Schürer, há muitos docentes temporários, em diferentes municípios do Estado, sofrendo com a falta de pagamento. “Temos professores indo trabalhar sem receber absolutamente nada de salário, com meses de atraso. Isso gera dificuldade até mesmo para se deslocar até a escola”, explicou a diretora ao Grupo JM. Outra questão, já levada à Secretaria Estadual de Educação (Seduc), foi a demissão de profissionais.
“Hoje temos 25 mil contratados. E o governo do Estado enviou à Assembleia Legislativa  um projeto de lei solicitando autorização para contratar mais 5.024 professores. Ora, se há falta de professores, se está sendo solicitada a contratação de novos temporários, por que as demissões estão ocorrendo, no meio do ano letivo?  É descabido pensar em demitir para recontratar no início do ano letivo”, afirmou Helenir.
Segundo a diretora, ainda há escolas que não tiveram um dia de aula em disciplinas importantes, como Química e Física. O Cpers-Sindicato conversou com deputados e com a Comissão de Educação da AL, a fim de conseguir a elaboração de uma emenda, solicitando a realização de concurso público ainda neste ano – já que a previsão é somente para 2020 - e solicitando que os contratados não sejam demitidos em 2019. “Estamos apoiando esta emenda, que pode vir a ser votada na próxima terça-feira na Assembleia”, destacou a diretora.
Muitos dos profissionais que foram demitidos, segundo Helenir, estavam em licença-saúde, para tratamento do câncer e casos de depressão severa. “Conseguimos reverter o caso de uma professora que estava grávida e inclusive entramos com uma representação junto ao Ministério Público, que já solicitou informações ao governo do Estado. Nós queremos que estes profissionais sejam readmitidos, por uma questão humanitária. Eles se dedicaram e receberam, em troca, a demissão, no momento em que mais precisavam”, destacou.
Uma emenda também é apresentada pelo Cpers-Sindicato para que recursos sejam reservados para realização de concurso público em duas áreas carentes na área da educação: alimentação e manutenção das escolas.
Nos dias 6, 7 e 8 de setembro, acontecerá o congresso do Cpers-Sindicato, um espaço considerado importante pela diretora, porque prepara para os próximos três anos as lutas que a entidade estará envolvida. "Há pessoas que dizem: olha, vão doutrinar.  E eu respondo: olha, o sindicato que não faz a luta em defesa dos direitos dos seus trabalhadores, não sei por que existe. Esse é o papel de um sindicato", afirmou. O evento acontecerá em Bento Gonçalves.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por