Notícia

Educação

Região tem programa de aceleração

Postada 14/08/2019



Na última semana, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) lançou o programa Aceleração RS – Anos Finais, que visa corrigir a defasagem de idade-série dos estudantes do 6º ao 9º Ano do Ensino Fundamental. Muitos não sabem, mas a região da 36ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) conta com um projeto semelhante, desde 2018, que vem trazendo bons resultados em todo o Ensino Fundamental – também incluindo os Anos Iniciais.
“Nós tínhamos a expectativa de que o Estado tivesse seu próprio programa, para corrigir e trabalhar esta questão. Até então, vínhamos trabalhando com dois programas do Instituto Ayrton Senna, o Acelera e o Se Liga. Mas, no ano passado, a Coordenadoria, apoiada pela Secretaria Estadual, lançou o programa Avançar, que está sendo desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Médio Emil Glitz e na Escola Estadual de Ensino Fundamental Luiz Fogliatto, em Ijuí. Na Escola Estadual de Ensino Fundamental Chico Mendes a iniciativa também é aplicada, mas para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) no turno diurno”, explicou o titular da 36ª CRE, Cláudio de Souza.
O  coordenador explica que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação organiza a oferta do ensino no País. E recomenda que as crianças devem ingressar aos 6 anos no 1º Ano do Ensino Fundamental, concluindo esta etapa até os 14 anos. Também diz que jovens dos 15 aos 17 anos devem estar matriculados no Ensino Médio. “O valor da distorção é calculado em anos e representa a defasagem entre a idade do aluno e a idade recomendada para o ano escolar. Considera-se distorção quando a diferença da idade para a série prevista passa de dois anos”, reforçou Cláudio.
Uma das principais causas da distorção é a evasão ou abandono escolar, segundo o coordenador. E o aluno acaba deixando a escola por muitos motivos: seja porque precisa ir para o mercado de trabalho, porque precisa cuidar dos irmãos em casa ou porque não se adapta à rotina da escola – especialmente na troca do 5º, quando ainda há apenas um professor referência, para o 6º Ano do Fundamental, quando diversos professores ministram as disciplinas.
“Mais do que a avançar o aluno, temos uma preocupação com a aprendizagem. O programa da 36ª CRE tem uma metodologia própria, com conteúdos pensados dentro daquilo que os estudantes realmente precisam ter em termos de conhecimento. Também é importante estar atento ao perfil do professor, que precisa querer estar inserido no programa”, destaca Cláudio, lembrando que o programa está em constante avaliação.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por