Notícia

Geral

Fenilact tem como desafio ser uma feira regional novamente

Postada 22/07/2019



A Feira Nacional de Produtos Lácteos (Fenilact) de Ijuí chega a sua 10ª edição neste ano, e acontece durante a Expo-Ijuí/Fenadi, de 14 a 20 de outubro, no Parque de Exposições Wanderley Burmann. Neste ano, a feira será coordenada pelo empresário Gilmar Lang, juntamente com Paulo Machado. Eles já estão realizando trabalho junto às propriedades da região, divulgando a Fenilact, que é uma oportunidade para o desenvolvimento e o fortalecimento do setor produtivo da cadeia do leite.
"Nosso grande desafio é voltar a fazer uma feira regional, valorizar o produtor daqui. Sentimos uma receptividade muito boa, porque eles se sentiram valorizados. Não que as feiras anteriores não tenham sido importantes, foram, mas agora vamos fazer uma feira da região, para que o produtor se sinta valorizado a desenvolver uma  melhor genética, cada vez mais", comenta Lang.
Em entrevista ao Grupo JM, ele destacou a importância do setor lácteo, tanto para os produtores quanto para o desenvolvimento econômico local. "O leite tem uma grande vantagem que em 30 dias o dinheiro dele está circulando. Ele começa desde uma empresa mais simples, desde uma borracharia com o conserto de um pneu, até a faculdade, imóveis, então, esse dinheiro é melhor distribuído e, é por isso, que nós precisamos valorizar nossa atividade leiteira da região."
Proprietário da Agrovel, que completa 23 anos de atuação, Lang lembra que incentiva o setor por meio da realização de eventos, como o 5º Seminário do Leite, em conjunto com sindicatos, poder público e Associação Comercial Industrial (ACI) de Ijuí. "Fiz uma palestra motivacional no último, precisamos também mexer em nossa autoestima e fazer com que o produtor se sinta valorizado como ser humano, como empresário, e que se sinta desafiado a produzir cada vez mais."
Para ele, ações como estas são importantes uma vez que criam consciência no produtor sobre a necessidade de investimentos, de mudanças. "A atividade leiteira é como qualquer outra, precisa que a gente vá se reinventando. O mercado exige, então, nós, automaticamente, temos que mudar. Essas normativas que surgiram, não são porque as empresas querem, mas porque o consumidor exige. Então, se nós quisermos exportar leite, temos que mudar e nos adequar, e isso tudo exige mudança de comportamento do produtor."


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por