Notícia

Economia

Pequenas empresas garantem saldo positivo

Postada 08/07/2019



O saldo positivo na geração de empregos em maio só foi possível por causa do desempenho das micro e pequenas empresas. O setor foi responsável, no mês passado, pela criação de 38 mil postos formais de trabalho (com carteira assinada) no país, enquanto as médias e grandes corporações registraram saldo negativo, demitindo 7,2 mil trabalhadores, conforme levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sebrae) feito com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia. No total, levando em conta a diferença entre contratações e desligamentos, o Caged de maio fechou com saldo positivo de 32,1 mil empregos gerados.
"Hoje, a economia brasileira é muito pautada nas pequenas e micro empresas. Mais de 90% de tudo que gira de dinheiro dentro de nossa economia sai das pequenas e micro empresas, e Ijuí não é diferente disso. Temos aproximadamente, 3,5 mil MEIs, e justamente por isso, o Sebrae tem uma iniciativa direcionada junto à Sala do Empreendedor, para poder dar atenção a essa fatia tão importante do empresariado em nosso município", comenta o gerente da unidade do Sebrae em Ijuí, Armando Petinelli.
Considerado o nível de faturamento destes MEIs em Ijuí - que não têm mais de dois funcionários - de R$ 30 mil por ano, multiplicado pelo universo de microempreendedores individuais, são cerca de R$ 100 milhões gerados e que circulam na economia do município. "Então, é uma fatia extremamente importante e que, muitas vezes, passa despercebidss em nossa economia, por não ter, muitas vezes, uma estrutura física para realizar seu trabalho", destaca Petinelli. "Por isso, que temos que ter uma atenção especial, e enquanto Sebrae, estamo sempre fazendo uma adequação de público, para que sejam competitivos, e esclarecendo a importância de esterem em dia com suas obrigações, porque eles aquecem as economias, principalmente dos pequenos municípios. Normalmante quando passamos por um período de crise, muitas pessoas saem de seus trabalhos e vão empreender." 
Por outro lado, a inadimplência continua sendo o principal problema relacionado aos MEIs, que devem realizar o pagamento de uma taxa mensal, e atinge 50% destes empreendedores. "Então, há sempre uma busca do poder público municipal e do Sebrae, de fazer com que esses MEIs estejam em dia com essas taxas, e possam ter os benefícios."
Petinelli destaca Ijuí como exemplo a partir da estruturação da Sala do Empreendedor, localizada junto ao Sine, que é um espaço destinado ao atendimento dos MEIs, onde eles recebem orientações e conhecem oportunidades. 


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected]naldamanhaijui.com Desenvolvido por