Notícia

Saúde

Com supervisão, prática da musculação entre crianças e jovens pode ser benéfica

Postada 25/06/2019



Na cidade, já é possível perceber que o ingresso de crianças e adolescentes em academias é cada vez maior. Mas ainda há muitas dúvidas se a musculação é realmente indicada aos mais jovens, conforme observa o educador físico Emanuel Bandeira Meireles, que atua na Academia Fórmula Fitness.
“Muito se fala que criança não pode fazer força, não pode treinar. Mas não há problemas e não há prejuízos ao se entrar numa academia. O problema é o mau emprego da musculação para esse público. A prática  é importante, desde que seja bem aplicada, bem orientada”, destacou o profissional.
O ingresso de jovens em academias é visto de forma positiva, segundo Emanuel, especialmente porque, hoje, a maioria das crianças e adolescentes não se movimentam. Estão presos às novas tecnologias  e acabam quase que não praticando atividades físicas. “Tanto que temos uma grande proporção de crianças e jovens com problemas  como obesidade, diabetes e outras disfunções”, reforçou.
Como lembra o educador físico, as academias foram projetadas para adultos e, portanto, quando uma criança ingressa no espaço, é necessário adaptar a dinâmica de um treino para a sua capacidade, maturação e objetivo.  “É difícil precisar a idade certa que a criança pode entrar na academia. Idade é alto relativo. Como disse, muito se fala que os pequenos não podem fazer força. Mas quando estão numa pracinha, nos brinquedos, acabam fazendo até mais força com os movimentos que realizam, com os saltos que dão. Não há problemas na prática da musculação, como disse. O ponto principal é a supervisão que vai se dar dentro de uma sala de musculação, para que essa criança ou adolescente possa desenvolver suas capacidades. É necessário ajustar o meio para que ela possa treinar.”
É importante, segundo Emanuel, que os pais compareçam à academia para discutir com os instrutores a condição física do filho, se há alguma restrição, problema de saúde, e qual o objetivo da criança ou jovem. “O risco de não se ter uma supervisão correta é o acidente. Pesquisas mostram que as lesões ocorrem mais em função de um acidente por descuido do que pela execução do exercício”, lembra.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por