Notícia

Geral

Campanha da Assembleia contorna falta de recursos

Postada 13/05/2019



As doações ao Funcriança no Estado tiveram um crescimento superior a 42%, conforme dados da Superintendência da Receita Federal. Uma das causas desse aumento, foi a campanha Valores que ficam, que arrecadou R$ 13 milhões. A iniciativa promovida pela Assembleia Legislativa (AL) incentiva a destinação de 3% do Imposto de Renda para entidades assistenciais do RS.
"Onde não tem repasse de dinheiro federal, praticamente, atrasado, com as dificuldades financeiras do governo do Estado, e a população gaúcha se conscientizando de que não precisa mandar todo o dinheiro para Brasília, nós podemos deixar uma parte desse dinheiro aqui. Então, destinar parte do Imposto de Renda a hospitais e entidades sociais é fundamental. Os governos não têm conseguido fazer isso, pois a população fez. Aumentamos em mais de 42% a arrecadação em relação ao ano anterior. Foi o Estado que proporcionalmente mais aumentou essa destinação do Imposto de Renda", comemora o presidente da AL, Luis Augusto Lara (PTB).
Ele explica que a campanha Valores que ficam continuará no Estado. "Hoje começa uma nova fase, porque no final do ano tem a destinação de 6% do imposto devido, e iremos buscá-los porque deu certo. Queremos chegar a R$ 40 milhões e estamos trabalhando para isso. Esse valor para hospitais, Apaes, Ligas de Combate ao Câncer de Mama e entidades afins é uma grande ajuda."
A coordenadora das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) do RS, Lucia Maria Cardoso Centena diz que esse recurso é fundamental para garantir a sobrevivência das entidades assistenciais. "Temos 205 Apaes no RS, estamos atendendo 354 municípios, e estamos fazendo a conscientização dos nossos empresários e pessoas da comunidade, dizendo que é possível ajudar o outro, ajudar as pessoas com  deficiência intelectual e múltipla ou outro tipo de deficiência, o importante, neste momento é esse recurso, que em um momento de crise está retornando ao nosso Estado."
Em Ijuí, de acordo com a vice-presidente do Conselho dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes (Comdica), Marli Gaspar, ainda não foram divulgados os valores arrecadados, mas a expectativa é de que haja um aumento. "Essa doação é feita por meio da Darf. No encerramento da declaração, é possível optar por doar certo valor, que será recolhido, e temos que aguardar o governo federal fazer esse repasse. A Receita Federal que vai nos dizer qual valor foi recolhido em Darfs para o município."


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por