Notícia

Geral

Ceriluz assina contrato para construir usina

Postada 12/03/2019



Em ato realizado durante a Expo-direto/Cotrijal, em Não-Me-Toque, a Ceriluz assinou na tarde de ontem um contrato de financiamento junto ao banco de fomento BRDE, e viabilizou recursos para a construção de mais um projeto hidrelétrico no Estado.
A cerimônia contou com a presença do presidente da cooperativa ijuiense, Iloir de Pauli. Ao Grupo JM, ele explicou que a nova usina será construída no município de Boa Vista do Cadeado, utilizando a força da água do rio Ijuizinho, em um projeto viabilizado através de parceria com a Coprel, de Ibirubá.
Denominada Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Igrejinha, a nova usina já está em estágio avançado, inclusive com Licença de Instalação (LI) emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) desde o final de 2017. No total a usina terá 4,85 Megawatts (MW) de potência instalada e tem um investimento estimado em R$ 30 milhões - dos quais R$ 29 milhões serão financiados pelo BRDE, com prazo de pagamento de 20 anos.
Em outubro de 2018, Ceriluz e Coprel já haviam assinado contrato para a compra das máquinas da CGH Igrejinha. Ao todo, a cooperativa ijuiense tem 59% de participação no projeto, enquanto a Coprel é responsável pelos outros 41% da participação na CGH Igrejinha.
O novo empreendimento vai atender, prioritariamente, consumidores de energia da região do Alto Jacuí.
"Com essa CGH vamos resolver problemas importantes na distribuição de energia que existem naquela região. Parte dos consumidores é atendida pela RGE e outra parte pela Coprel. Na nova usina haverá duas turbinas e cada uma delas terá sua produção energética direcionada a uma distribuidora diferente. Isso vai fazer com que a tensão existente hoje, alvo de reclamação dos consumidores, melhore de maneira significativa", explicou Iloir de Pauli.
"Com certeza, o retorno de mais esse investimento da Ceriluz será revertido aqui, para os nossos associados, levando fibra ótica, novos alimentados, enfim, mais qualidade nos serviços", completou.
O presidente da Coprel, Jânio Vital Stefanello, já havia destacada recentemente a importância da parceria entre as cooperativas para a viabilização do projeto. "Nosso relacionamento não é somente institucional, mas nos negócios, essa parceria otimizou e viabilizou o projeto. É o cooperativismo se unindo e fazendo diferença em momentos de crise", em visita a Ijuí para a assinatura do contrato que viabilizou a compra dos equipamentos para o empreendimento. 
Projeção da própria Ceriluz indica que, se tocasse o projeto da CGH Igrejinha sozinha, a cooperativa ijuiense teria que construir uma rede de transmissão de mais de 40 quilômetros, o que tornaria o projeto caro demais e, possivelmente, inviável economicamente. Com a parceria, a análise é de que o novo projeto tem 'sucesso garantido'.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por