Notícia

Política

Osmar Terra anuncia a prefeitos criação de novo pacto federativo

Postada 25/02/2019



O ministro do Desenvolvimento, Osmar Terra, sinalizou aos prefeitos do Rio Grande do Sul com a realização de um sonho antigo: a criação do novo pacto federativo. 
O anúncio foi feito por Terra durante a Assembleia de Verão da Federação das Associações de Municípios do RS (Famurs), em Torres. 
De acordo com o ministro, o texto do novo pacto federativo está sendo elaborado pelo ministro da economia, Paulo Guedes. Terra garante que o novo modelo deve modificar radicalmente o atual sistema de repartição dos recursos. 
“Hoje os municípios ficam com 17% da arrecadação, 23% no Estado e 60% no governo federal. Então vamos inverter a pirâmide, ao invés de ficar 60% no governo federal, ele fica com 15%, e coloca 50% no município, 30% nos Estados, inverter essa pirâmide. E isso acaba a peregrinação dos prefeitos atrás de emenda, eles vão triplicar seu orçamento.”
Porém o novo pacto não virá de graça, já que durante o encontro Terra salientou a necessidade de que a Reforma da Previdência seja aprovada antes do pacto federativo. 
“A reforma da Previdência é decisiva  para manter vivos os municípios. Não adianta fazer um pacto federativo em um ou município morto.” No encontro, o ministro cobrou que os prefeitos também atuem em prol da reforma apresentada pelo governo nesta semana. “Façam pressão nos deputados de vocês para que a reforma seja aprovada logo". 
Terra participou do último painel da Assembleia que reuniu representantes de 217 municípios gaúchos entre quarta-feira e sexta. Ele disse que a responsabilidade de estar à frente da pasta é desafiadora. 
Sobre a reforma da Previdência, ele disse que “não tem mais como adiar” e lembrou que na proposta apresentada pelo governo federal está incluída a reforma nos regimes próprios da Previdência, aqueles estabelecidos pelos municípios para servidores municipais.
Na avaliação dele, o governo apresentou uma proposta inteligente e demonstrou pressa na aprovação da medida, pedindo ajuda para os gestores municipais para pedir apoio de deputados para a reforma. 
O presidente da Famurs, Antonio Cettolin, garantiu que a entidade estará empenhada na aprovação do projeto.  “Hoje, a reforma da Previdência é essencial para a vida dos municípios, é o oxigênio para sobrevivência, se não for feito isso em 15 a 20 anos você vai ver os municípios piores do que o Estado está hoje", destacou.  
Cettolin admite ainda não estar a par do projeto protocolado no Congresso, mesmo assim, ele prefere que o texto tenha poucas mudanças. “Teremos que ver alguns pequenos ajustes, algumas situações. Porque se começa a descaracterizar, se arrasta e não vota.” A proposta do novo pacto federativo foi a que deixou Cettolin mais entusiasmado. “Essa notícia nos deixa com outro ânimo, porque sabemos que se isso realmente acontecer, as comunidades terão uma transformação muito forte.”


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por