Notícia

Geral

Secretário promete resolução para áreas

Postada 10/01/2019



O ano de 2019 deve marcar a instalação das primeiras empresas no novo distrito industrial de Ijuí, localizado às margens da BR-285, próximo ao aeroporto municipal.
É o que garante o secretário de Desenvolvimento Econômico do Município, Antônio Carlos Frizzo Tâmbara. Segundo ele, a prefeitura conseguirá, nos próximos meses, resolver o imbróglio que perdura desde 2016, quando diversas empresas locais foram contempladas com terrenos mas, diante de problemas burocráticos, nunca puderam instalar suas unidades no distrito industrial.
"Estamos trabalhando de maneira muito forte nessa questão da regularização de áreas industriais. Já nos reunimos com a Secretaria de Planejamento discutindo ações, para agilizar essas regularizações. Também conversamos com representantes do registro de imóveis, para que também nos auxiliem nessa questão", comentou Tâmbara, ontem, em entrevista ao Grupo JM.
Atualmente, só na área da BR-285 há cerca de 18 empresas aguardando a finalização dos trâmites burocráticos para se instalar no distrito. Originalmente, em 2015, a prefeitura havia feito a doação de terrenos a 30 empreendimentos, mas houve muitas desistências em função da demora na resolução dos problemas.
"Temos todo o levantamento topográfico da área, os diagnósticos, e agora precisamos que o registro de imóveis nos entregue a individualização dos terrenos. Com as matrículas individuais, poderemos encaminhar projetos à Câmara alterando as leis e, depois disso, as empresas já poderão usufruir dos terrenos", afirma o secretário.
Problema antigo
O impasse envolvendo o distrito industrial às margens da BR-285 perdura desde 2016, quando a Câmara de Vereadores aprovou projetos que faziam a cessão de áreas no local a empresas do município.
O primeiro problema apareceu logo que os empresários contemplados tentaram acessar as matrículas individuais dos imóveis, que não condiziam com os mapas da área. Além disso, a forma legal de repasse dos imóveis impedia que as empresas utilizassem os terrenos como garantias bancárias, o que, em alguns casos, era essencial para que os empresários contemplados fizessem investimentos no local.
A demora levou empresas importantes a desistirem do distrito. O caso mais emblemático foi o da Taimak, empresa ijuiense do ramo industrial contemplada com um imóvel no local e que, diante da demora na regularização da área, mudou sua sede para o município vizinho de Coronel Barros.
Diante da problemática, a prefeitura também iniciou uma série de revisões na Lei Municipal nº4.049/2002, que fixa regras para o incentivo público a empresas em Ijuí. Os aditivos à lei visaram agregar mecanismos de controle, melhorando o gerenciamento das ferramentas de cedências de área, e introduzindo outros benefícios para o crescimento econômico efetivo.
A revisão foi iniciada em agosto de 2017, teve a participação de diversas entidades como a ACI e o Codemi, mas ainda não saiu do papel.
"O novo projeto está pronto há muito tempo, mas só não foi à votação por essas questões pontuais, a regularização dessas situações que estão em andamento. Mas logo que esses itens forem superados, teremos a votação da lei, com uma nova política e uma nova visão para o incentivo às indústrias de Ijuí", justifica Tâmbara.
Neste sentido, Tâmbara relata que há uma série de indústrias interessadas em investir no município. "Estamos trabalhando muito nesta questão da atração de novos investimentos, há muitas frentes de trabalho, pois existem muitos interessados em investir aqui por diversas questões, por sermos um polo regional econômico".


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por