Notícia

Saúde

Instituto do Coração completa uma década

Postada 18/12/2018



O Instituto do Coração (Incor) do Hospital de Caridade de Ijuí (HCI) completa dez anos de serviços prestados à comunidade local e regional, que incluem desde consultas até exames e as mais complexas cirurgias do coração. Somente o serviço de hemodinâmica, que compõe o complexo de cardiologia, alcançou o número de 33 mil procedimentos de cateterismo, angioplastia, estudos eletrofisiológicos e  cuidados das doenças neurológias e vasculares. Esse serviço atende os principais convênios, como Unimed, IPE Saúde, Fusex e Sistema Único de Saúde (SUS), que torna o Instituto do Coração uma referência para mais de 120 municípios, com uma população estimada em 1,5 milhão de pessoas.  Também nestes 10 anos, o  serviço de cardiologia apresenta números surpreendentes. Entre ambulatório vascular, hemodinâmica e bloco cirúrgico, foram registrados  248.159 atendimentos.
“A abertura do Incor representa um marco para Ijuí e região. Hoje, nosso atendimento compreende cinco partes, iniciando pelo atendimento ambulatorial, passando pelo setor de cardiologia intervencionista, pela UTI coronariana, unidade de internação própria para pacientes da cardiologia, além de área no bloco cirúrgico, onde são realizadas as cirurgias mais complexas”, explicou o coordenador do Incor e diretor técnico do HCI, Rafael Manhabosco Moraes.
No Incor, de cada 100 pacientes que passam por cateterismo cardíaco, procedimento que identifica com precisão o grau de obstrução coronariana, menos de 10 casos acabam em cirurgia cardíaca. Cerca de 30% acabam em angioplastia, que é a colocação de stents, ou “molinhas” no coração, e na maioria das vezes recomenda-se o tratamento clínico, sem necessidade de intervenção. Mesmo assim, são realizadas, em média , de sete a oito cirurgias cardíacas, por semana, no HCI. Até o momento, foram registradas 1.918 cirurgias cardíacas. 
“Ficamos bastante orgulhosos de dizer que o atendimento no Incor compreende todas as áreas da complexidade que o pacientes necessita. Podemos atender tanto casos simples, como check-up, até casos complexos que exigem cirurgia cardíaca”, destaca Manhabosco, lembrando que os casos mais comuns, hoje, são de infarto agudo do miocárdio.
O investimento para concretização do Incor chegou a R$ 6 milhões, sendo que R$ 4 milhões partiram recursos próprios do HCI. Agora, o hospital aguarda, do Ministério da Saúde, o empenho de R$ 2 milhões, já aprovados e específicos para a aquisição do segundo angiógrafo - equipamento que faz os procedimentos  de cardiologia intervencionista, e que vai consolidar o HCI como referência macrorregional no serviço de hemodinâmica. “Em 2019 também iremos iniciar um novo serviço, com a aquisição de um aparelho de ressonância magnética”, reforça Manhabosco.
De acordo com o presidente do HCI, Cláudio Matte Martins, foi um acerto investir na alta complexidade. “Precisamos que o Estado, que nos compra os serviços, faça a sua parte e garanta os recursos do SUS em dia.  Assim podemos continuar com a nossa gestão, que prioriza investimentos que salvam vidas”, disse. 
Na última semana, no ambulatório cardiovascular, diretoria, médicos e colaboradores realizaram uma solenidade comemorativa pelos 10 anos de atividades do Incor.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por