Notícia

Rural

Integração de lavoura e pecuária é viável

Postada 03/05/2018



A predominância da agricultura nas férteis terras das regiões Noroeste, Missões e Alto Uruguai, principalmente das cultivares de verão, é uma questão meramente cultural. É o que defende Auri Braga, vice-presidente de Agronegócio da ACI e empresário integrante da Associação Sul-brasileira para o Fomento de Pesquisa em Forrageiras (Sulpasto).
Ao analisar o cenário do mercado de sementes forrageiras no Estado, Auri Braga afirmou que, atualmente, 90% das sementes comercializadas são destinadas para produção de pasto, com criação de gado a campo, o que indica que a pecuária segue como uma atividade em plena expansão. Indagado sobre os motivos que desestimulam a presença da atividade na macrorregião de Ijuí, ele explica que sempre defendeu uma maior integração entre lavoura e pecuária.
"Essa é uma questão de cultura. No verão, temos em todo o Rio Grande do Sul uma área cultivada de, aproximadamente, 6 milhões de hectares de verão, que no inverno se transformam, no máximo, em 2 milhões de hectares cultivados de lavoura. Quer dizer, temos uma área equivalente à  Alemanha desocupada no inverno", analisa o empresário.
Historicamente, a região já teve uma maior integração entre agricultura e pecuária, mas questões técnicas acabaram desestimulando a prática.
"A nossa região já foi grande produtora de gado, principalmente no município de Jóia, onde os produtores faziam a pastagem de inverno e vendiam o gado para o preparo da lavoura de verão. Essa prática foi sendo desestimulada porque o pessoal achava que o pisoteio prejudicava a terra, e diminuía a palhada. Até concordo com isso, mas se você retirar o gado em setembro, até novembro a pastagem produz palhada suficiente para proteger a terra", defende Auri Braga. "Por essa razão, sou a favor da integração entre lavoura e pecuária, com utilização da terra para as duas atividades, pois é algo viável na nossa região", complementa.
Outra preocupação do vice-presidente do Agronegócio da ACI é com o clima, já que, até esta quarta-feira, a região de Ijuí estava há mais de 20 dias sem chuva consistente. "A chuva traz  humidade, que é essencial para que o pessoal siga com o plantio de inverno. Esperamos, também, que as temperaturas baixem logo, já que nosso outono está com temperaturas de verão", comentou.


Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por