AO VIVO


Coluna Sônia Arriens Cassel

Publicada 15/08/2018

COISAS DA VIDA

Incrível como há pessoas com uma necessidade imperativa de autoafirmação e estrelismo. Como expressa uma amiga espirituosa,  “gente que gosta de aparecer”! O psicanalista Jacson Buonocore refere que são sujeitos que precisam “estar em evidência para ter suas qualidades reforçadas a todo momento, escondendo a falta de amor-próprio”. Segundo o psicanalista, o objetivo de querer ser destaque diante dos outros é a busca de respeito, aprovação e enaltecimento, o que para ele trata-se de uma “manifestação neurótica”. Buonocore considera  que essas pessoas tiveram “experiências traumáticas”, bem como vivências sentidas como desprezo, exclusão e situações inferiores.
As redes sociais são a prova dessas criaturas, com suas fotos, selfies e exposições de todo tipo, sem limites, critérios, muitas vezes com total falta de bom senso e elegância. Muito bem dito pelo psicanalista, “um frenesi que expõe a nossa fragilidade egóica, por uma procura delirante de aprovação dos internautas”. Ele defende que tal “ego exagerado” é um recurso inconsciente na tentativa de compensar o medo da perda de espaço na vida pessoal e social, que o sujeito tem. Mas como afirmou Diogo Vieira Protti e eu concordo, “quem tem mais ego que personalidade, também tem mais imagem do que essência”.
O perigo desse desejo de aprovação e reconhecimento alheio, é a pessoa transformar-se em alguém arrogante e prepotente. O popular “ego inflado”...quase que a espera de ser reverenciado...escondendo muitas vezes nesse comportamento, insegurança e vazio interior.
Jacson sugere a psicoterapia como um caminho para reverter o “processo de autoafirmação destrutiva”. Ele entende que será um caminho em direção ao equilíbrio intelectual, emocional e espiritual. Mas se alguns insistirem continuar caminhando nessa direção “equivocada”, afinal são escolhas, o que pode ser feito é evitar alimentar esses “egos famintos” por evidência e vitrine. Eles dependem de uma plateia os aplaudindo o tempo todo...basta você se recusar fazer parte desse “circo”. A colunista Josie Conti dá uma dica bem bacana: “Nossa tolerância e adaptação devem ser oferecidas àqueles que constroem conosco os castelos da vida, mas que também conosco dividem a simplicidade das conquistas...”E Martha Medeiros completa com propriedade, “lutar contra o próprio ego não é fácil, mas é o jeito de mantermos uma certa sanidade e paz de espírito”.

Edição Impressa


Ver Todas as Edições
Trabalhe no Grupo JM Espaço do Leitor - Assine - Anuncie -
Albino Brendler, 122, Centro, Ijuí-RS
(55) 3331-0300
[email protected] Desenvolvido por